Identidade visual para empreendedores

Muitos empreendedores um dia já se depararam com o desafio de criar a identidade visual da sua empresa. É um trabalho que requer alto poder de síntese – na difícil tarefa de representar uma ideia/ideal com poucos elementos – logotipo, tipografia, cores e formas – e que mistura estratégia e intuição em igual medida.

1. Meu novo negócio precisa de uma identidade visual?

Sim, e muito! Se a identidade for bem cuidada desde o começo, ela vai trabalhar duro para comunicar credibilidade e confiança, moedas que regem o início de qualquer novo negócio. Com esforço consistente, a identidade visual da sua marca pode se tornar um grande diferencial e multiplicar o valor do seu negócio.

Os cartões da Festa das Comadres ajudaram a estabelecer contatos e conferiram credibilidade para as sócias no início do negócio.

2. E em que momento devo investir em um projeto de identidade visual?

Tão logo você tenha uma boa noção do que quer fazer e onde quer chegar.

Antes de saber isso, embarcar nessa jornada é bem incerto, com muita chance de se mudar um bocado de coisas ao longo do caminho. Isso não seria econômico e nem produtivo para ninguém.

Se acontecer muito depois de iniciar suas atividades, a empresa pode ficar à deriva, com uma mensagem desorganizada e uma imagem mais desfocada de quem ela é. O ponto perfeito para se pensar em um projeto de identidade, portanto, é o começo da vida do negócio – desde que se tenha um rumo claro de onde se quer chegar.

Com isso resolvido, a próxima preocupação comum é sobre o processo de trabalho. Na maioria casos, projetos de identidade visual seguem o seguinte roteiro:

  1. Analisar e/ou compreender e acordar as bases estratégicas da empresa.
    Olhar para dentro da empresa: suas forças, fraquezas, objetivos estratégicos, razão de existir. Olhar para fora da empresa: concorrentes, ambiente de negócios, referências dentro e fora do mercado e tudo que pode ajudar a estabelecer o cenário e contexto do negócio.
  2. Traduzir essas descobertas visualmente.
    Michael Johnson, em seu livro Branding in Five and a Half Steps sugere que essa fase pode tanto ser consequência da etapa 1 quanto trazer novas descobertas que podem influenciar nas bases estratégicas. Em todo caso, é aqui que as ideias começam a tomar forma e se tangibilizar.
  3. Implementar o projeto na vida real.
    Com o desenrolar da etapa de criação passamos a nos preocupar com a vida útil da identidade e sua aplicação no dia-a-dia. Um dos resultados prováveis dessa etapa é a criação de um Guia de Identidade Visual — um documento que estabelece as regras de uso, elementos de apoio à identidade, tipografia padrão, cores etc. A criação de Modelos/templates pré produzidos, fontes proprietárias e afins são outras ferramentas que podem ajudar e muito na implementação da identidade.
  4. Acompanhar e rever caso necessário.
    Como todo organismo, uma empresa cresce, amadurece e muda de objetivos com o tempo. Se o jeito da marca se comunicar não estiver batendo com o que foi combinado no início de sua operação pode ser a hora de um rebrand – repensar a estratégia e comunicação da marca para que reflita a nova personalidade da empresa.

3. Quanto custa criar uma identidade visual?

Arrisco ser meio chato nesse ponto, mas identidade visual não é um custo, e sim um investimento – isto significa que qualquer empreendedor deveria esperar um retorno, que começa a aparecer desde o início em forma de respeito, reputação e competitividade no mercado. Duvida? Experimente falar com potenciais investidores (fazer um pitch) com e sem uma apresentação clara, bem estruturada e visualmente atraente. Em muitos casos, pode ser a diferença entre receber ou não apoio financeiro fundamental para o crescimento do seu negócio.


4. Minha vez de perguntar. Qual é o seu papel neste processo?

O papel do dono do negócio (ou do profissional ou equipe que contratam o estúdio para criar um projeto) é tão importante quanto o do estúdio.

Quem vive o negócio no dia-a-dia conhece todas as variáveis que compõem o negócio. Por essa simples razão, o sucesso do projeto depende de um compartilhamento generoso e transparente do maior número de informações relevantes para que se monte o cenário de negócio onde a identidade visual vai se inserir. E da sua participação ativa ao longo do projeto, respondendo às dúvidas, indicando as direções que são mais pertinentes à estratégia de negócios e confiando no trabalho da agência.


5. Planeje com cuidado e mergulhe de cabeça no processo.

Construir um novo negócio não é simples, criar uma identidade visual é uma jornada desafiadora e de muito aprendizado. Quando feita com atenção e cuidado, contribui definitivamente para o sucesso da empresa!

Não sabe muito bem por onde começar? Comece respondendo às perguntas fundamentais sobre a estratégia do seu negócio e de quebra saia com um excelente modelo de briefing para compartilhar com os parceiros de criação do projeto.

Rodrigo Saiani é fundador da Plau e type designer. Suas fontes podem ser vistas em canais de televisão, plataformas de games, livros e sites pelo mundo.